Anti Crise Portugal

Dicas para ultrapassar a crise

Arquivo por Autor

Uma prenda de Natal muito simples

with one comment

Há pouco tempo vieram perguntar-me se podíamos fazer cartões de leitor da biblioteca (para quem não sabe, sou bibliotecária) para oferecer, tipo cartão presente. Estranhei a ideia no início mas rapidamente assimilei e acedi, sim, podemos fazer!
E que melhor presente de Natal oferecer a crianças ou mesmo amigas/os amantes da leitura?

Sugiram nas vossas bibliotecas públicas! Por cá vamos fazer, mas só para habitantes do concelho…

Written by taniacamilo

Outubro 20, 2011 at 2:21 pm

Publicado em cultura, geral, lazer, livros

Tagged with

Vamos retomar?

with 17 comments

Apela-se às contributoras que retomem o anti-crise! Novas dicas e/ou ideias são urgentes!

Bora lá!

Written by taniacamilo

Outubro 19, 2011 at 10:02 pm

Publicado em Sem categoria

Valores natalícios

with 2 comments

O Natal… o subsídio de Natal… o balão de oxigénio para muitas famílias (incluindo a minha…)…
Há presentes para comprar, outros para fazer, há “aquela” coisa que fazia falta lá em casa, há isto, aquilo e aquele outro… digamos que os “valores natalícios” são sempre altos, quer cortemos na lista dos presentes, quer não…

Este ano vou dar meia dúzia de presentes a amigos… não mais que meia dúzia, menos que no ano passado. Os meus filhos também terão menos presentes, mas, e aqui está o cerne da questão, vou incutir-lhes o verdadeiro valor do Natal, aquele que ultrapassa religiões, raças e sexos…!

Todas as noites, juntamente com o calendário de Natal, conto-lhes uma estória que considero que tenha a ver com os valores tradicionais do Natal genuíno, aquele que não tem tanto a ver com o consumismo… conto estórias sobre partilha, estórias tristes com um fundo de amizade e amor, enfim, dou-me ao trabalho de procurar 24 estórias cujo tema principal tenha a ver com aquilo que eu penso sobre os valores do Natal!

Paralelamente faço um outro trabalho… esvazio os cestos e sacos e caixas de brinquedos deles e, juntos, procuramos aquilo com que já não brincam… após a selecção, coloco-os em vários sacos, de preferência vermelhos, e vou entregá-los a pessoas da minha terra que eu sei que passam por dificuldades e que, claro, tenham filhos pequenos. Levo sempre comigo o meu filho mais velho, pois o mais novo tem apenas 2 anos e ainda fazia alguma birra por causa dos brinquedos… mas desta forma, além de desocupar espaço em casa (há que juntar o útil ao agradável) preencho o Natal de algumas crianças… bem sei que é um gesto mínimo, mas também sei que quem ganham são elas, as crianças, pois o Natal é delas…

Faço o mesmo com a roupa deles… ao longo de todo o ano, vou dando aqui e ali, peças que deixam de servir ao mais novo, e que ainda estão em bom estado. Agora, pelo Natal, faço o mesmo, ou melhor, continuo…

Este post serve para relembrar que o Natal não é só presentes… serve para relembrar que também nós podemos “ser” o Natal de alguém… serve para nos relembrarmos que os nossos filhos devem crescer habituados a uma nova forma de estar na vida, na qual os valores da partilha, da bondade e da solidariedade devem ter um papel fundamental…

Feliz Natal 🙂

Written by taniacamilo

Dezembro 15, 2010 at 12:50 pm

Publicado em Sem categoria

Tagged with ,

O stress da poupança

with 17 comments

Com esta conversa toda à volta da ideia de que temos de poupar, eu e o meu marido começamos a adoptar novas formas de comportamento, que para alguns, se calhar, já são hábitos, não de sobrevivência mas de cidadão do século XXI, o século das energias renováveis (supostamente…).
Ficam aqui algumas dicas, provavelmente já conhecidas e utilizadas por alguns, mas de certeza que há aí malta, como nós, que nunca pensou muito no assunto:

– garrafas cheias de água no depósito do autoclismo – objectivo: reduzir a quantidade de água das descargas, mesmo com dois depósitos, para dois tipos de descargas diferentes, há sempre muito desperdiçado…

– baldes de água, vazios, nas wc – objectivo: aproveitar a água fria dos banhos, enquanto não vem a quente, no nosso caso resulta muito bem , pois a wc do nosso quarto é muito distante da caldeira (temos painéis solares 🙂 ), enquanto não vem água quentinha, encho um balde de 5 litros de água fria… topam a ideia?? Com a água que poupei, rego as flores, despejo-a na sanita, em vez de utilizar o autoclismo, lavo o chão, serve, portanto, para o que for preciso.

– água dos desumidificadores – objectivo: reutilizá-la, e como? Segundo me disseram, essa água é quase como “destilada”, ou seja, quem utiliza desumidificadores (nós temos 2 24h/24h por dia, vivemos numa zona realmente húmida…) pode reutilizar a água que é retirada da atmosfera doméstica utilizando-a nos ferros a vapor ou de caldeira! Se alguém tem uma opinião contrária, please, digam, pois não sei se é realmente assim… já várias donas-de-casa-profissionais me falaram deste assunto.

– LCDs, plasmas ou LEDS como iluminação da sala/quarto – objectivo: poupar electricidade. Quando só existiam as “televisões antigas”, era necessário uma fonte de iluminação que suportasse a agressiva iluminação das mesmas… mas agora com os modernos sistemas que quase todos nós temos em casa, quando vemos tv não precisamos de qualquer outra fonte de iluminação, pois estes novos ecrãs, para além de serem maiores, irradiam muita luz, a suficiente para conseguirmos ver tudo à nossa volta. Claro que não dá para ler um romance com esta iluminação, mas quem vê tv, não lê romances ao mesmo tempo… daí um candeeirito, de pé ou de mesa, com uma lâmpada económica, para iluminar aquilo que, realmente deve ser iluminado (este é o meu próximo passo, a compra do dito candeeiro!).

– um mealheiro – objectivo: ter pézinho de meia. Este objectivo não é meu, foi retirado de um blog cujo link encontra-se aqui ao lado na barrinha… favor aceder “Economia lá de casa” 🙂

E pronto… até agora não descobrimos mais formas básicas de poupar alguma coisa… assim que o nosso estado actual de “economistas poupados” desenvolver mais alguma ideia, mesmo que para alguns já seja um hábito, virei aqui desenvolver!

Written by taniacamilo

Outubro 28, 2010 at 9:56 am

Publicado em Economia doméstica

Tagged with

No supermercado

with 5 comments

Encontrei mais um blog útil para as nossas carteiras 🙂
tem a ver, neste caso concreto, com as idas ao supermercado, que estão idealizados para que o cliente entre e esbanje… É sempre um drama a ida ao supermercado, especialmente quando é o início do mês e a conta do banco ainda tem os restos que sobraram dos pagamentos das contas habituais… Nunca saio do supermercado (hiper) sem um carrinho, sem um boneco, sem qualquer coisa que os putos pediram, e, coitadinhos, eles não têm culpa da crise… há coisas que é impossível negar… uma “lembrancinha” do hiper não mata, mas ajuda a empobrecer…
De qualquer forma, aqui fica o link com muito daquilo que já sabemos, mas que se calhar nem sempre fazemos… e para mim a regra n.º 1 é: não levar filhos… comprar a “lembrancinha”, mas sem os ter por perto, se não a “lembrancinha” sairá cara…

Written by taniacamilo

Outubro 18, 2010 at 11:44 am

Publicado em Economia doméstica

Tagged with ,

Futilidades

with 6 comments

Todos já percebemos que o próximo ano vai ser anti-futilidades… e o que isso nos entristece… bolas, parece que nunca mais consigo renovar o meu roupeiro, se é que comprar roupa para nos vestirmos é considerado “futilidade”… dependendo do ponto de vista, poderá ser uma “necessidade”…
Bem, seja como for, também sabemos que vai ser difícil resistir à tentação… há que conseguir ter controlo e não esbanjar!
Este fim de semana fui ao Campera e fiz uma compra inteligente 😀 uns sapatos (lindos de morrer e absolutamente essenciais à minha vida!!) e que me custaram metade do preço que custariam na loja “normal”… e diga-se de passagem que são dos caros… 🙂
Por este motivo, e porque nem sempre nos lembramos, e especialmente quem tem filhos, venho relembrar a existência dos outlets, Campera, o de Alcochete, e uma outra mega loja que tem roupa super barata… pode não ser de qualidade, mas tem de tudo! O Fabio Lucci! De vez em quando vou lá e trago um carregamento de t-shirts, especialmente para os miúdos, que combinadas com um par de calças de marca (compradas no Campera), fazem toda a diferença 🙂
E o mesmo para nós!

Há que ser inteligente e continuar com bom aspecto, lá por estarmos em crise, não quer dizer que andemos vestidas com sacas de batatas ou com remendos…

Written by taniacamilo

Outubro 4, 2010 at 11:31 am

Publicado em Sem categoria

Tagged with ,

Alimentação em tempos de crise

with 6 comments

Uma coisa que me faz confusão é a poupança na alimentação… não digo que se deva esbanjar o que temos e o que não temos em comida, nada disso, pelo contrário, é necessário fazer uma busca minuciosa de preços mais em conta e relacioná-los com a qualidade do produto, especialmente se tivermos filhos… LIDL, minipreço e marcas brancas das grandes superfícies, existem coisas boas e menos boas, em tempo de crise urge perder um bocadinho de tempo na busca das compras certas e inteligentes.
No entanto, e não obstante a qualidade das compras, existe sempre, pelo menos lá em casa, os chamados “restos”, “sobras”, “excedentes”, etc… e a dúvida: o que raios faço eu agora com 3 bagos de arroz e meio bife?? Ou com o resto do peixe que sobro do jantar de ontem??
Esta é uma questão recorrente lá em casa e a resposta é quase sempre a mesma: vai para o prato do cãozinho lá da rua (é um cão comum de todos os vizinhos, o Batata). Mas em tempo de crise há que seleccionar o que vai para o Batata comer do “tacho” e às tantas quase prefiro comprar uma saca de ração e fazer uma filtragem maior nos nossos restos alimentares…
Aqui fica um  site com umas dicas, mas há muito mais na net, é só termos paciência e procurar o que fazer com os “restos” que nos sobraram da refeição anterior, pois não existe nenhum site português que reúna este tipo de informação… e ora que nem era uma má ideia avançarmos com umas dicas por aqui… O que acham?

Receitas Mágicas – Restos de peixe

Written by taniacamilo

Outubro 1, 2010 at 3:36 pm

Publicado em Economia doméstica

Tagged with , ,